Total de visualizações de página

sábado, 31 de março de 2012

APOCALIPSE A REVELAÇÃO DE JESUS CRISTO - Lição 01 - 2º. Trimestre 2012 - EBD-CPAD – Esboço

Apocalipse 1.1-8
                             pastorjoaobarbosa@gmail.com

Assessoria literária redacional e pedagógica da Mssª. Laudicéa Barboza da Silva  laudiceabarboza@hotmail.comhttp://nasendadacruz.blogspot.com  Visite-nos e confira nossas produções bíblico-literárias e pedagógicas contextualizadas com os temas
OBJETIVOS DE APRENDIZAGEM:
1.   Definir o Apocalipse como revelação divina.
2.   Conhecer as questões de autoria, data e local do livro.
3.   Saber que a leitura do Apocalipse é edificante.
Esboço
O livro do Apocalipse retrata todo o processo de consumação redentora da humanidade através de figuras de linguagens e simbolismos dramáticos.

Seu estilo literário é a apocalíptica judaica, recurso amplamente utilizado no Antigo Testamento como nos livros de Ezequiel e Daniel, cujos, também apresentam com grande riqueza em figuras e simbolismos.

Pelo seu estilo literário pode-se considerar o livro de Apocalipse um dos mais belos e fascinantes da Bíblia, e embora haja profecias em quase todos os livros do Novo Testamento, Apocalipse é o único livro profético nesta segunda parte das Escrituras Sagradas de cunho documentário; até mesmo o seu título é profético.

O termo Apocalipse de origem grega, refere-se à remoção de um véu estendido sobre algo que precisa ser desvendado, ou seja, revelado os seus segredos, algo que não somente descortina o futuro mas também, como Palavra inspirada de Deus, adverte e exorta os cristãos de todas as épocas e lugares a esperar o aparecimento do Nosso Senhor Jesus Cristo.

Apocalipse foi escrito entre 90 e 96 d.C. pelo apóstolo João, quando preso na Ilha de Patmos. O objetivo foi o de corrigir algumas distorções doutrinárias dos ministros de sete igrejas da Ásia Menor que tipologicamente representam sete períodos da igreja – de Pentecostes até o dia do arrebatamento (Ap 1.3). E podemos supor que, desde os tempos cristãos mais remotos, em algumas porções da igreja, especialmente na Ásia Menor, para quem esse livro foi dirigido, era ele tido como dotado de autoridade idêntica ao dos livros proféticos do Antigo Testamento.

O livro de Apocalipse começa com uma declaração de sua autoridade divina (o único livro do Novo Testamento que contém tal assertiva), copulado à uma promessa de bênçãos para aquele que ouvirem a leitura pública do livro (nas igrejas locais) e para aqueles que o lerem. Essa declaração é, ao mesmo tempo, uma explicação do tema do livro, isto é, Jesus Cristo, o Alfa e o Ômega, da existência de todos os seres inteligentes (Ap 1.1-3).

Isso é seguido pela saudação geral às sete igrejas da Ásia Menor, que seriam as primeiras a receber o livro. O próprio Cristo é visto a saudar à igreja, junto com João, além de ser retratado como o Alfa e o Ômega, o verdadeiro objeto de adoração, em contraste com os imperadores romanos, como Domiciano, que requeriam tal adoração dos súditos romanos. Essa saudação promete a parousia ou segunda vinda de Cristo, dando a entender a conversão do povo de Israel (Ap 1.4-8).

Sete cartas são dirigidas às sete igrejas, que originalmente receberam o livro, cada uma das quais descreve as condições da igreja, particularmente endereçada, com instruções, advertências e promessas. Essas cartas profetizam sete períodos da história eclesiástica, mas certamente refletem as condições reais da igreja cristã, quando o livro foi escrito (Ap 2.1 – 3:22).

O conteúdo principal do livro de Apocalipse que é a cena nos céus, onde se vê a glória celestial de Cristo, e em cuja mão aparece o rolo selado com sete selos dá a substância geral das revelações a serem desdobradas nas narrativas subseqüentes. Somente o exaltado Senhor e Cordeiro é digno de quebrar os selos e publicar  a sua mensagem.

O Apocalipse é a obra prima das revelações proféticas das Sagradas Escrituras, a culminância da divina inspiração e a história simbólica da dispensação cristã. De todos os livros nenhum outro
É tão solenemente introduzido; nenhum outro estampa inicialmente e tão visivelmente a sua origem divina; nenhum outro começa com tão graciosa e definida promessa de bênçãos para o que o lê, para os que o ouvem e para os que cumprem as coisas que nele estão escritas. E, ao encerrar-se a sua mensagem, adverte o seu Autor que se não tire dele nem nele se acrescente alguma coisa, sob pena de castigo fatal.

O futuro do mundo acha-se amplamente delineado no Apocalipse. Todos os problemas mundiais, diante dos quais se desespera o homem, encontram nele a solução. O desfecho do drama dos séculos – entre a verdade e o erro, entre a luz e as trevas, entre o bem e o mal – está plenamente assentado neste grande livro.

Suas profecias são o calendário da providência pelo qual entendemos estar a civilização vivendo seus derradeiros dias e o império do mal exalando seus últimos alentos. No Apocalipse encontramos a consumação do plano de Deus de restauração do mundo, o clímax das relações de Deus com o homem caído em pecado e o cumprimento de todas as promessas do evangelho.

A grande maioria das profecias do Apocalipse encontraram seu cumprimento no passado; algumas estão em pleno cumprimento no presente; outras serão cumpridas num breve futuro; e poucas restantes cumprir-se-ão no reino milenial de Cristo e na consumação dos séculos.

 O panorama profético cronológico do apocalipse apresenta-se de forma a seguir:
I   - PROFECIA DE DEUS NA TERRA:
1.   Introdução: Capítulo 1.
2.   Saudação da trindade: Capítulo 1.
3.   Visão das sete igrejas: Capítulos 2 e 3.
4.   Visão dos sete selos: Capítulo 4-6.
5.   A Reforma do Século XVI: Capítulos 10:1-10; 14.6-14; 18.1-4
6.   O despertamento religioso mundial do século XIX: Capítulos 10.1-10; 14.6-8.         
7.   O povo e a mensagem do advento: Capítulo 7.1-3; 10:11; 11.1-2; 12.17; 14.6-14; 18.1-4.

II  - PROFECIA SOBRE OS OPONENTES DE DEUS E DE SEU POVO:
1.   Roma e as nações modernas cuja queda é anunciada nas sete trombetas: Capítulo 15.8.
2.   O Papado, principalmente na Idade Média e no futuro: Capítulos 13; 12; 11.3-6.
3.   A revolução francesa inimiga da Bíblia: Capítulo 11
4.   O protestantismo norte-americano na profecia: Capítulos 13.11-18.
5.   A grande Babilônia: Capítulos 14.8; 18.1-4; 17; 16.13.

III - PROFECIA FINAIS DO APOCALIPSE:
1.   O termo da divina graça: Capítulo 15.8.
2.   As sete pragas futuras: Capítulo 16.
3.   A segunda vinda de Cristo: Capítulos 14:14-20; 19:1-21.
4.   A queda da Babilônia: Capítulos 18; 19.
5.   O milênio da profecia: Capítulo 20.
6.   O juízo final: Capítulo 20.
7.   Novo céu e nova terra: Capítulos 21.1.
8.   A nova Jerusalém: Capítulos 21;  22
9.   Os santos na glória: Capítulos 7.9-17; 14.1-5; 15.2-4.

A leitura do Apocalipse é uma bem-aventurança para aquele que lê e guarda a sua mensagem. “Bem-aventurado aquele que lê, e os que ouvem as palavras desta profecia, e guardam as coisas que nele estão escritas; porque o tempo está próximo”. (Ap 1.3).





Fontes de Consultas:
ANDRADE. Claudionor de. Lição EBD-CPAD – 2º. Trimestre 2012. Manual do Mestre
CHAMPLIN, R. N e BENTES, M.J. Ph.D. Enciclopédia de Bíblia Teologia e Filosofia. Editora Hagnos.
Novo Comentário Bíblico do Novo Testamento – Eds: READMACHER, Earl D; ALLEN, Ronald B; HOUSE, H. Wayne

MELO. A.S. A Verdade sobre as profecias do Apocalipse –São Paulo 1959

domingo, 25 de março de 2012

VOCÊ SABE AONDE QUER CHEGAR? Acredite em você e comece agora!





Planejamento é essencial na hora de escolher os seus objetivos e traçar suas metas



Existem muitas pessoas que estão constantemente perdidas. 
Não tem a mínima idéia do que querem, mas sabem que não estão realizadas com a situação atual.


A saída é estabelecer objetivos e metas. 
Mas como, se não sabemos o que queremos?


As pesquisas mostram que menos de 3% da população têm objetivos específicos, pessoais ou profissionais e, aproximadamente, 1% da população coloca sua meta no papel. 
As pessoas não planejam e acabam falhando.







Você já se perguntou onde quer estar daqui a 6 meses ou 1 ano? 
Quando uma pessoa não sabe para onde ir, ela nunca chegará a lugar algum, ou terá que aceitar qualquer lugar.





Estabeleça objetivos e metas, fazendo um planejamento. 
É importante saber que existe uma sutil diferença entre Meta e Objetivo. Objetivo é o resultado mais importante que você quer alcançar e as metas são os resultados intermediários que você precisa atingir para alcançar o objetivo final.
Você define o objetivo e em seguida quebra em metas mais fáceis de atingir. É óbvio que atingindo as metas, uma a uma, ao final terá atingido o objetivo.



O ponto chave para o sucesso e de estabelecer objetivos e metas para sua vida é saber o que quer. 



Quando temos um alvo definido, nossa mente pode focar e dirigir, reforçar e redirecionar até alcançar o objetivo pretendido.
Um objetivo sem planejamento e ação não passa de um desejo e nada mais.
Abaixo, seguem os passos para ajudá-lo:



1- Procure um lugar agradável e confortável, onde você possa estar relaxado, sem interrupções. 




Você deve buscar dentro de si os recursos mais importantes, afinal você é um ser humano cheio de recursos e possibilidades.


2- Inspire e expire pausadamente cinco vezes. Este procedimento vai colocá-lo num estado de relaxamento.







3- Permita-se ficar aí por uma hora ou mais e sonhe, pense, imagine tudo o que você quiser ter, ser e fazer. 
Não se limite, seja coerente, mas não se limite. 







Metas limitadas são para seres limitados. Faça isso de uma maneira concentrada e seus objetivos virão. Tenha certeza de que ao final você saberá o que quer.





4- Utilize um papel e vá escrevendo o que vier a sua mente, não se preocupe com a coerência, mantenha a sua mão escrevendo por aproximadamente 10 minutos e vá elaborando sua lista de objetivos. Sinta-se livre, pois não há limites.



5- Verifique a sua lista, determine o tempo que você acha que precisará para alcançar cada objetivo. 



O ideal é que tenha objetivos a curto e longo prazo.
6- Separe os quatro objetivos mais importantes para você este ano. 
Utilize alguns critérios como

 entusiasmo, 
        motivação, 
         importância. 






Seu objetivo não deve ser muito pequeno. 
Devem estar ligeiramente acima de seu patamar atual e que você acredite poder alcançá-lo. 







Alguns objetivos quando alcançados acabam interferindo diretamente em outros.





Encontre bons motivos para realizar estes objetivos, determine-se. 


Se questione sobre o que irá perder ao alcançar o objetivo e se você irá encarar esta perda como um prejuízo na sua vida. Se o alcance se tornar um prejuízo reflita se é realmente um objetivo válido para você.






Estabeleça a prioridade entre os objetivos escolhidos e os prazos desejados. 




Você deve ter objetivos que realmente o motivem para a realização e que você acredite que é capaz de realizar. Este é o principal passo para o sucesso.




7- Agora, procure por recursos que vai precisar: Você precisará do apoio de alguém? 
Você precisará contratar algum recurso externo? 




Você precisará de instrumentos específicos? 
Você precisará de dinheiro? 
Você precisará desenvolver alguma habilidade específica? 

Busque por todos os recursos, ferramentas e habilidades que vai precisar.
8- Monte seu plano de ação. O plano de ação nada mais é que o planejamento, passo a passo, do que deverá ser feito. Este passo é fundamental e muitos falham exatamente nesta etapa. Quebre os passos para alcançar seu objetivo em pequenas metas.






O que será preciso fazer hoje? E na próxima semana? E nos próximos meses?




Se você quer comprar uma casa nova encontre a casa de aparência, local e valor que você deseja. 
Defina se terá que aumentar sua receita para conseguir o valor para a aquisição e como fará isso.




Se deseja mudar de carreira, uma das primeiras coisas que precisa fazer é conhecer outras áreas. 
E depois?





Descobrir seus objetivos e desenvolvê-los é um trabalho árduo, mas extremamente válido. 






Invista em você mesmo, olhe frequentemente para a sua lista de objetivos com seriedade e determinação; 






você não é uma máquina de planejar, é um ser humano com pensamentos, sentimentos e emoções.


Ter uma motivação é o que faz com que as pessoas se movimentem e, ter um BOM motivo, as faz alcançarem a excelência. Visões limitadas criam vidas limitadas. Utilize este conhecimento a seu favor e se espantará com o que pode alcançar.
O mais importante após ter seus objetivos relacionados é partir para a ação.
Um objetivo sem planejamento e ação não passa de um desejo e nada mais. Portanto, acredite em você e comece agora!   Fonte: www.minhavida.com.br

Canção das Mulheres - Dedico este poema a minha nora Sandrinha - Esposa de Otniel meu Filho do Meio

                                       Poema de Maria Bernadete de Carvalho Almondes
Que o outro saiba quando estou com medo,
e me tome nos braços sem fazer perguntas demais.




Que o outro note quando preciso de silêncio e
não vá embora batendo a porta, mas entenda que não
amarei menos porque estou quieta.



Que o outro aceite que me preocupo com ele e
não se irrite com minha solicitude, e se ela for excessiva
saiba me dizer isso com delicadeza ou bom humor.




Que o outro perceba minha fragilidade e não ria de mim,
nem se aproveite disso.



Que o outro- filho, amigo, marido, amante
não me considere sempre disponível,
sempre necessariamente compreensiva,





mas me aceite quando não estou podendo ser nada disso.




Que finalmente, o outro entenda que mesmo às vezes me esforço,
não sou nem devo ser, a mulher-maravilha,




mas apenas uma pessoa vulnerável e forte,
incapaz e gloriosa, assustada e audaciosa






                                                               UMA MULHER-SANDRA


de Maria Bernadete de Carvalho Almondes

sábado, 24 de março de 2012

A IMPORTÂNCIA DO CURRÍCULO NA MOTIVAÇÃO DO ALUNO DA EBD - Por Laudicéa Barboza da Silva

                                       
EBD-Templo Central da COMADALPE






Currículo EBD-CPAD para o 2º. Trimestre 2012




Tema: AS SETE CARTAS DO APOCALIPSE
A Mensagem Final de Cristo à Igreja
Comentarista: Claudionor de Andrade
Índice das Lições:
1 - Apocalipse, a revelação de Jesus Cristo
2 - A visão do Cristo Glorificado
3 - Éfeso, a igreja do amor esquecido
4 - Esmirna, a igreja confessante e mártir
5 - Pérgamo, a igreja casada com o mundo
6 - Tiatira, a igreja tolerante
7 - Sardes, a igreja morta
8 - Filadélfia, a igreja do amor perfeito
9 - Laodiceia, uma igreja morna
10 - O governo do Anticristo
11 - O Evangelho do Reino no império do mal
12 - O Juízo Final
13 - A formosa Jerusalém

Uma das maiores autoridades em educação cristã, Pr. Antonio Gilberto, atribui ao currículo a seguinte definição:
  
“E’ um grupo de assuntos constituindo um curso de estudos,  planejado e  adaptado   às  idades  e  necessidades  dos  alunos.
   Noutras palavras é um meio educacional para se atingir os objetivos do ensino”.

Apesar de o tema central desse trabalho residir na motivação através do currículo, compreende-se a necessidade de uma rápida abordagem em torno do papel definidor do currículo através de sua grade curricular, isto é, o conteúdo a ser trabalhado, em nosso caso, para que seja obtido o perfil que a igreja deseja para seus membros dentro de sua base doutrinária.

Como podemos observar, o currículo trabalhado pela escola dominical emana dos responsáveis pelo projeto educacional da igreja cuja visão coloca a bíblia como autoridade máxima, tornando-a o elemento gerador de uma proposta bíblica, evangélica, profética e devocional, “tendo por obrigação levar o cristão a ser um membro útil da sociedade, a fim de que, através de seu testemunho, possa glorificar o nome de Deus”, como define o Pr. Claudionor Corrêa de Andrade.
                      Afinal, qual a importância do Currículo?

CURRÍCULO –  MOTIVAÇÃO
Entre outras leituras que podemos fazer do currículo em sua ação determinadora, é alvo desse trabalho, ressaltar a importância do currículo na motivação do aluno da Escola Dominical. Sabemos que tão logo a criança comece as suas primeiras leituras na observação do mundo que a rodeia, surgem as primeiras interrogações como forma de se situar no espaço e depois, no tempo que precede a razão: O que? Por que? Para que? Escola Dominical?

Encontramos nas alamedas do jardim do currículo da Escola Dominical elaborado com o objetivo de atender as demandas espirituais e sócio-educativas de cada aluno em sua respectiva faixa etária desde o maternal até os jovens e adultos, um verdadeiro processo vital, pronto a responder eficazmente o que? Por que? Para que? Estou no mundo.

 CURRÍCULO –  VIDA

A vida do currículo elaborado dentro da vida, a Palavra de Deus, é a grande motivação a ser utilizada em uma aula cujo objetivo é produzir vida abundante pelo ensino da Palavra, que ao ser articulada com o aluno o coloca no centro do processo na relação ensino-aprendizagem, fazendo através de cada tema em estudo, uma relação de conhecimento e identificação entre o aluno e Deus, o Criador e Mantenedor do Universo.

 CURRÍCULO –  ALEGRIA                                                   

O grande segredo da alegria das manhãs dominicais em nossas escolas acorda vivo no tronco de uma robusta árvore, cuja raiz encontra-se firmada em uma estrutura acadêmica que podemos denominar de currículo onde o tema de cada trimestre é alimentado pela seiva vertida nesse tronco, na dinamicidade de um tema trimestral que pode ser ilustrado nos galhos da árvore por cada lição tão viva quanto a própria vida, necessitando porém, de uma motivação para existir, agir e corresponder às expectativas de seus objetivos.

CURRÍCULO – DINAMICIDADE
Tal qual um imenso bosque iluminado pela Palavra de Deus, onde milhares de folhas de toda cor, tamanho e tipo, sorriem alegremente saudando as manhãs dominicais num grande e poderoso movimento, convergem milhares de alunos à Escola Dominical sedentos pelo novo, ímpar e insubstituível momento, gerado pelo tema que está sendo trabalhado no trimestre e alimentado pelos sub-temas das lições que trazem a cada domingo uma nova motivação e sempre uma grande festa onde acontece através da Bíblia um emocionante encontro entre a vida divina e a vida humana.

CURRÍCULO – POESIA
A descrição poética em apreço traduz a riqueza de alcance da escola dominical em torno da motivação que pode ser gerada pelo tema, mui especialmente, quando o currículo em ação corresponde às expectativas de sua clientela oferecendo condições de não só fazer conhecer por conhecer, mas proporcionar ao aluno dentro do fazer pedagógico que se propõe, mediante objetivos pré-estabelecidos mergulhar fundo no texto.

CURRÍCULO –  MUDANÇA
Atravessando as diversas margens da leitura de mergulho em mergulho saindo da margem do conhecimento para a compreensão do texto, refletindo,  como ele aluno está em relação ao que conheceu, o aluno pode fazer comparações com a bíblia para entender o que Deus deseja para ele.  Em um mergulho mais profundo atravessa o mundo nas asas do Espírito e torna-se capaz de enxergar o que opera por trás dos “prazeres” mundanos. Mesmo aqueles ainda em idade pueril, adquirem condições de fazer diferença para como um pequeno Davi, combater o pecado, e derrubar o engano.

CURRÍCULO – CREDIBILIDADE
 Motivação, podemos afirmar, ser o grande antídoto para destruir a barreira que mantém grande parte do corpo da igreja distanciada da escola dominical, havendo uma grande discrepância entre a quantidade de membros e congregados da igreja e o número de alunos matriculados na escola dominical. Não é competência nossa discorrer sobre os porquês dessas demandas, entretanto podemos dar a nossa contribuição na minimização do problema, investindo no incentivo à motivação através da Pedagogia de Projetos para dar novo sentido às aprendizagens.

CURRÍCULO – CRESCIMENTO

 A diversidade de projetos de trabalho que circulam  em muitas das escolas dominicais constituem uma grande festa na igreja a cada manhã de domingo, além de promover uma grande expectativa em torno desse trabalho que através dos projetos desperta interesse e promove motivação capaz de imprimir em famílias inteiras uma marca de compromisso e um vínculo de crescimento.

 CURRÍCULO–CONSCIENTIZAÇÃO
Tudo começa com a conscientização da necessidade de se tornarem alunos efetivos dessa grande agência de ensino onde se aprende de modo prazeroso e se é preparado de forma eficiente para enfrentar as demandas espirituais do mundo de hoje. São os projetos de trabalho movidos pelos temas trimestrais, os grandes veículos provedores desse posicionamento dos que muitas vezes desconfiados tentam mais uma vez freqüentar a escola dominical ao chegarem afirmando: “voltei porque ouvi falar que está diferente”.

 CURRÍCULO – INFORMAÇÃO
Assim de curiosidade em curiosidade pelo novo, pela forma de trabalhar o emergente, o inusitado que surge em nossas vidas, que entram em nossas casas sem pedir licença, mas que são atacados e rejeitados pelo conhecimento adquirido com o ensino da Palavra que tem por objetivo alcançar o aluno em suas necessidades, a escola dominical  vai  avançando para o alcance de sua meta: Todos na escola dominical – cada crente um aluno.

CURRÍCULO – CONSTRUÇÃO
Dentre os muitos projetos trabalhados consideramos o “Projeto Ensino-Aprendizagem” o  carro chefe que norteia grande parte das estratégias para a aprendizagem ao orientar um plano de aula semanal para cada nível de ensino, consistindo em  delinear um contorno dos objetivos da lição utilizando uma adequação do comentário veiculado pela revista do mestre, à nossa  proposta pedagógica elaborada pelo viés de nossa base doutrinária e nossa realidade regional, cultural e acadêmica – uma necessidade devido ao nosso variado corpo docente e discente, quando o nosso critério prioritário na formação de classes é o respeito a faixa etária visando a aprendizagem dos alunos em suas fases de desenvolvimento.
  
CURRÍCULO – ORGANIZAÇÃO
Os planos de aula emitidos pela Coordenação do departamento infanto-juvenil, são orientados aos professores mediante assessoria pedagógica para aplicação de acordo com cada projeto de trabalho. Ele também se constitui em roteiro para ações variadas na relação professor aluno. Um dos objetivos do projeto ensino aprendizagem é despertar nos infanto-juvenis o gosto pela leitura da Bíblia ao articular o plano de aula da lição através da contextualização em torno do que a Bíblia revela sobre o plano de Deus para o homem e a transversalização dos problemas emergentes e sociais por que passa o mundo hodierno, a fim de ensinar os alunos a enxergarem o mundo através das lentes de Deus – a Bíblia.
  
CURRÍCULO – ATUALIZAÇÃO
 No “Projeto Identidade” a motivação vem cumprindo sua missão ao despertar nos pequenos leitores ainda não alfabetizados nos níveis de maternal e jardim de infância, o gosto pela leitura através do álbum de figuras que acompanha as lições do mestre das revistas CPAD para a EBD nas faixas etárias do Maternal, Jardim de Infância, primários e juniores. Essas figuras são transformadas em páginas de um livro de imagens no painel do Projeto Identidade  cujo objetivo é estabelecer relação de identificação com a lição em estudo através da correspondência de uma leitura  do visual associada ao verbal articulado entre professor e aluno que se transforma no centro de interesse da lição.
  
CURRÍCULO – AMBIÊNCIA
Os conhecimentos do texto em estudo são tecidos em função da necessidade de aprendizagem dos alunos mediante a prévia prática da escuta desenvolvida pelo professor no momento da recepção na chegada do aluno quando ele encontra em seu espaço de aula toda uma ambiência de acordo com o tema e uma motivação sempre que possível concreta para servir de ponte entre o tema do trimestre, a lição do dia e o próprio aluno, além de uma referência aos acontecimentos inusitados de alcance do aluno dentro da sua percepção de acordo com a sua idade, com objetivo de mostrar o que a Bíblia ensina e como Deus trata àquela situação.

CURRÍCULO – AUTO-ESTIMA
O “Projeto de Trabalho Efetividade”, trimestral cujo objetivo integratório é promover a frequência regular dos alunos para maior aproveitamento dos ensinos bíblicos dominicais em todos os níveis de ensino, tem sua base bíblica nos temas trimestrais, a técnica em fundamentos da psicopedagogia que atrai o aluno através da elevação da auto-estima e em teorias de literatura infanto-juvenil, onde a força motivadora da relação entre o visual e o verbal promovido pela ambência em torno das lições, leva o aluno a priorizar a escola dominical nas manhãs de domingo, por conta de um compromisso de se fazer representado em uma parte do painel que integra um todo dentro de determinada ilustração do tema em estudo, com construção mensal.
  
CURRÍCULO – IDENTIFICAÇÃO
Dentro dessa estratégia motivadora do plano de freqüência os alunos se sentem parte do processo de ensino, cujo centro é ele próprio, representado no visual que alimenta o verbal. Gratificados pela avaliação do professor ao final de cada mês e o reconhecimento através de homenagens aos alunos que mais se destacaram eles vão construindo a sua casa espiritual com um tijolo certo a cada domingo, no motor da efetividade motivada pelos projetos de trabalho estampados em painéis no colorido representativo de cada nível de ensino e formas dinâmicas que atendem a capacidade de ação do aluno dentro de sua faixa etária.

 CURRÍCULO – RENOVAÇÃO
Encontramos nos projetos de trabalho um forte aliado para motivar os alunos da escola dominical e ao mesmo tempo um elemento renovador que faz da escola dominical uma roda viva que dá uma volta a cada trimestre, nas diversas classes dos níveis de ensino, iniciando com uma aula inaugural.

 CURRÍCULO – FESTA
E’ um domingo festivo cada primeiro domingo dos trimestres na escola dominical onde os novos temas a serem trabalhados são recebidos com muita expectativa por toda a igreja. Tudo é renovado na exibição dos murais dos projetos do novo trimestre em cada classe infanto-juvenil e nos pontos estratégicos da nave do templo em cujo espaço  se processam as aulas de jovens e adultos.
  
CURRÍCULO – INTEGRAÇÃO
Os projetos mobilizam professores, alunos e pais na realização de oficinas pedagógicas trimestrais, mensais e até semanais de acordo com a quantidade de classes e projetos que girem em torno do tema. Cada projeto oportuniza uma dinâmica e objetivos diferenciados tendo a sua proclamação na aula inaugural com uma grande festa que consegue manter o aluno motivado até a última lição do trimestre trazendo uma nova expectativa a cada domingo para a ambiência em torno de tudo que é produzido, articulado e vivido na apropriação e identificação com a Palavra de Deus.

CURRÍCULO – INTERAÇÃO
Cada volta do processo trimestral, tem o seu ponto alto em uma aula interativa quando acontece a culminância dos projetos com  a avaliação de atitudes e procedimentos visivelmente observados na forma como os alunos expressam suas experiências de aprendizagens e crescimento espiritual.

 CURRÍCULO – REALIZAÇÃO
 Há quem caracterize os projetos de trabalho como envolventes e apaixonantes pela sua capacidade de manter toda igreja envolvida e absorvida pelos objetivos integratórios e pela afetividade gerada na integração e na construção do grande edifício espiritual da igreja, não deixando de fora nem as crianças que integrada às oficinas pedagógicas começam cedo o seu  preparo para atuar como futuros professores.

 CURRÍCULO – MISSÃO
A EBD. dessa forma, cumpre sua missão de treinar os alunos para o serviço do mestre. Ao mesmo tempo podemos constatar a avidez com que os alunos sorvem os projetos e as novas expectativas em torno do novo tema à cada trimestre.

CURRÍCULO – AVALIAÇÃO
 Entretanto é na Escola animada, apenas uma em cada ano, além das avivadas ao final de cada trimestre e as inaugurais na abertura do trimestre, que contemplamos uma verdadeira epopéia na exposição de todo material de motivação produzido nos quatro trimestres do ano, via projetos de trabalho em torno dos temas e no registro que documenta desde a chegada do aluno nas manhãs do domingo até as aulas interativas nas datas comemorativas.

 CURRÍCULO – CELEBRAÇÃO
 Eventos de origem bíblica, cívica ou datas relevantes de destaque para a nossa igreja, como dia da bíblia, missões, dia do Pastor, Início das Assembléias de Deus em Pernambuco, Dia da Escola Dominical entre outras, são representados em um contexto interativo trabalhado com todos os alunos da EBD – crianças, jovens ou adultos.

As programações emanam em grande parte do Departamento infanto-juvenil, através da expressão oral, escrita e artística na dramatização, no canto visualizado e na produção de painéis contextualizados, enquanto que nas datas profanas como o carnaval ou místicas como os dias consagrados a determinados ídolos, entre outros destaques de nosso calendário, toda escola é esclarecida pelo Dirigente Coordenador Pedagógico ou um Professor habilitado, que leva toda escola a uma reflexão sobre o que a Bíblia diz dentro daquele contexto, deixando os alunos preparados para combater o engano.
  
CURRÍCULO – SABOR
 Finalizando essa breve apresentação dos efeitos da pedagogia de projetos para motivar os alunos da escola dominical utilizando o currículo como elemento gerador de motivação, consideramos apropriado fazer referência ao escritor Lécio Dornas em seu livro “Vencendo os Inimigos da Escola Dominical (p.29), ao demonstrar o seu repúdio a  mesmice pedagógica através das palavras do americano  Elmer L. Towms:
  ‘Variedade é o tempero da vida e o segredo é variar a metodologia de ensino da Bíblia para manter o interesse”.
 
CONSIDERAÇÕES FINAIS
O texto em apreciação é produção da Mssa. Laudicéa Barboza da Silva, tendo sido partilhado em plenária pela mesma, durante a Conferência de Escola  Bíblica Dominical na Assembléia de Deus em Recife PE no ano 2004.